Augusto Cesar Malta de Campos (Mata Grande1 AL 1864 - Rio de Janeiro RJ 1957). Fotógrafo. Transfere-se para o Rio de Janeiro em 1888, integrando a Guarda Municipal entre 1889 e 1893. Após tentar a sorte, sem muito sucesso, como guarda-livros, comerciante de secos e molhados e de tecidos finos, encontra na fotografia a vocação que o tornaria célebre como o mais expressivo cronista visual da vida e da paisagem carioca na primeira metade do século XX. Primeiro fotógrafo oficial da Prefeitura do Rio de Janeiro, contratado em 1903 para documentar as radicais reformas urbanísticas promovidas pelo prefeito Pereira Passos, permanece nessa função até sua aposentadoria, em 1936. Nesse período, produz mais de 30 mil fotografias. Além de documentar as transformações por que passou a cidade, fotografou a Exposição Nacional de 1908; a Exposição do Centenário da Independência e o desmonte do Morro do Castelo, ambos em 1922; registrou diversos aspectos da vida carioca, como o carnaval de rua, a prostituição da zona portuária, e ainda retratos de artistas, políticos e intelectuais. Após sua morte sua obra é apresentada em diversos eventos no Brasil e no exterior. Seu trabalho também se constitui em referência para pesquisas, teses e estudos, originando uma série de publicações, entre os quais Malta: O Fotógrafo do Rio Antigo, lançado em 1983, pela Rio Gráfica, Um Fotógrafo, Uma Cidade: Augusto Malta, de Fernando Ferreira Campos, pela Maison Graphique, Rio de Janeiro, 1987 e Augusto Malta: Catálogo da Série Negativo em Vidro, assinado por seu filho Aristógiton Malta, pela Coleção Biblioteca Carioca da Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro, em 1995.