Domingo Garcia y Vasquez (Vigo, Espanha ca. 1859 - Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1912). Pintor. Chega ao Brasil por volta de 18711. É admitido na Academia Imperial de Belas Artes (Aiba) em 1879 e frequenta a aula de paisagem. Torna-se aluno do paisagista Georg Grimm (1846 - 1887) a partir de 1882, quando este entra na Aiba. Em 1883, participa de mostra na Casa de Wilde2. Recebe a segunda medalha de ouro na Exposição Geral de Belas Artes de 1884, com o quadro A Pesca. No mesmo ano, abandona a Aiba e muda-se para Niterói, seguindo seu professor. Descontente com os métodos de ensino da academia, passa a integrar o Grupo Grimm.

No ano seguinte, viaja para a França, onde estuda com Hector Charles Hanoteau (1823 - 1890) e tem contato com Henri Harpignies (1819 - 1916). Volta a Niterói em 1888 e expõe no Ateliê Moderno, no Rio de Janeiro, em 1889, recebendo críticas negativas que o levam a isolar-se. Passa os anos 1890 afastado da capital, em Icaraí, Niterói, pescando e pintando apenas pequenos formatos em madeira. Em 1901, participa da Exposição Geral da Escola Nacional de Belas Artes (Enba) e nota-se uma retomada das características anteriores da sua pintura. Em 1905, faz excursão a Serra da Estrela, no Rio de Janeiro. Apresenta as telas na Exposição Geral de 1906 e, embora seja elogiado pela crítica, não torna a expor. Apresenta conduta instável e sofre de problemas emocionais. Termina por suicidar-se em 1912, no Cinema Soberano, na rua da Carioca, Rio de Janeiro.