Realizada no final dos anos 1970, a série Via Sacra é o ápice de um tratamento sintético que Messias passa a aplicar nas imagens que cria. O vazio é incorporado como elemento construtivo em contraponto com áreas de cor maciça. O desenho dos elementos complementares é preciso e a tipografia utilizada reforça a referência aos cartazes publicitários. Ainda nesse aspecto, de comunicação de massa, essas obras em grandes formatos lembram os Dazibãos chineses. 

 

Os temas abordam passagens da vida de Cristo e de sua crucificação. O projeto Manuel Messias | Do Tamanho do Brasil conseguiu rastrear 15 obras pertencentes a esta série que estão espalhadas entre coleções particulares e instituições. A gravura “A Cabeça de São João Batista” foi escolhida como ponto de partida, já que historicamente a decapitação do santo representa o momento em que Jesus passou a pregar publicamente. Encerrando a sequência, a obra “Está consumado” representa as últimas palavras de Cristo, carregada com simbolismos cristãos, esta série transparece um misticismo que vai muito além da narrativa bíblica.

viasacra.jpg